Cuidados com a introdução de doces na alimentação da criança

24/09/2021 Sem categoria

Os doces e sobremesas geralmente são associados a sentimentos bons e à nossa memória afetiva. Entretanto, estimular o consumo excessivo de doces ainda na infância é um comportamento perigoso e pode levar a problemas como sobrepeso, hipertensão, cárie, entre outros. Por isso, é importante entender alguns cuidados que você deve ter ao introduzir alimentos com açúcar adicional na alimentação dos seus filhos. 

Até os 6 meses de idade a criança deve alimentar-se exclusivamente de leite materno. Quando a introdução de outros alimentos é iniciada (introdução complementar) é importante ter muito cuidado com a dieta da criança, já que ela pode determinar muitos hábitos futuros.  

Em 2019, o Ministério da Saúde lançou uma nova edição do Guia Alimentar para Crianças Abaixo dos 2 anos, onde enfatiza que o consumo de qualquer açúcar adicional só deve iniciar após os dois primeiros anos de vida e sempre com muita moderação. O guia também aponta para os cuidados com alimentos ultra processados, que possuem altos níveis de açúcares, sódio e gorduras e aditivos, como sorvetes, chocolates, balas, refrigerantes, salsicha, alimentos pré-prontos em geral, entre outros. 

“[…] habituar a criança ao sabor muito doce nos primeiros anos de vida estimula o consumo excessivo de alimentos e bebidas com açúcar e adoçantes, o que pode se tornar um hábito para a vida toda” 

Ou seja, o “doce” que deve ser evitado não está presente somente no açúcar cristal ou nos chocolates, mas em vários alimentos com adição de açúcar. A maioria deles está presente em produtos industrializados, deste modo a recomendação é sempre para o consumo de alimentos in natura. 

Como fazer a introdução da maneira correta

O primeiro passo é avaliar a própria alimentação. Se os pais comem muitos doces, é difícil para a criança entender o porquê dela mesma não pode fazer isso. Evite comprar e trazer pra dentro de casa alimentos que você acredita que seus filhos não devem consumir. 

A nutricionista especialista em nutrição materno infantil, Janice Danielli, também explica que o doce jamais deve substituir uma refeição da criança.

“Nunca substitua uma refeição ou lanche por aquele alimento doce que você quer ofertar para o seu filho, ao invés disso ofereça alimentos que ele já consome normalmente e deixe esse alimento mais doce para o final da refeição, assim ele não vai consumir grandes quantidades”, pontua. 

Outra dica preciosa é deixar os doces e sobremesas para datas especiais. A questão não é nunca oferecer açúcares para a criança (na idade certa), mas sim manter a moderação e saber os momentos certos. Em festas de aniversário, Natal e Páscoa, não impeça que seu filho consuma algum doce, mas ofereça uma quantia segura. 

Fonte: Janice Danielli, Nutricionista especialista em nutrição materno infantil
Guia Alimentar para Crianças Abaixo dos 2 anos

Compartilhe

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *