Insônia Comportamental: o que é?

08/09/2021 Sono

Seu filho não tem nenhuma doença, não toma remédios, tem uma rotina agitada e mesmo assim no fim da noite não consegue ou se recusa a ir dormir? Então ele pode ter desenvolvido a chamada Insônia Comportamental. 

A característica da Insônia Comportamental é a dificuldade da criança dormir ou manter o sono e está relacionada a dois tipos de distúrbio: Distúrbio de Associações e Distúrbio de Falta de Limites, ou então a junção desses dois.

Depois de descartados quaisquer problemas na situação clínica da criança, quando o médico avaliou que não existe cólica, refluxo gastresofágico, uso de medicamentos estimulantes ou qualquer situação que possa estar causando a insônia, então a probabilidade da criança ter Insônia Comportamental surge.

Ela ocorre entre 10% e 30% das crianças na idade pré-escolar. O tratamento ocorre através da mudança de hábitos para desenvolver um sono mais estruturado, reverter o quadro e fazer com que a criança durma de uma forma reparadora e mais tranquila.

Distúrbio de Associação

Associação é quando a criança necessita de algum elemento para adormecer, iniciar o sono ou então manter o sono e não despertar durante a madrugada.

A criança precisa desse elemento de associação quando ela está se encaminhando para a autonomia do sono, ou seja, quando ela consegue voltar a dormir sozinha. As associações mais usadas são: Naninhas de Pelúcia, fraldinhas e travesseiros. Qualquer elemento pode ser usado contanto que ela segure sozinha e se sinta segura para então voltar a dormir.

Confira algumas opções disponíveis na Hug.

Quando as associações são responsáveis por atrapalhar o sono, podemos chamar de Distúrbio de Associação. Geralmente os Distúrbios de Associações estão relacionados com elementos externos ou intervenção do pai ou da mãe para voltar a dormir, como pegá-la para embalar, andar de carro ou ter contato com o seio da mãe. 

Esses fatores podem causar uma fragmentação do sono e podem aumentar os despertares noturnos, porque a criança vai precisar disso para se sentir acolhida segura e então dormir novamente.

Distúrbio de Falta de Limites

O Distúrbio de Falta de Limites aparece quando a criança começa a se recusar a ir para cama na hora de dormir, ou cria desculpas para postergar esse momento.

Ela pode estar fazendo isso pedindo para ir ao banheiro, depois pedindo um copo de água, ou para os pais lerem mais um livrinho antes de dormir, entre outros. É importante os pais perceberem quando as crianças têm a real necessidade do que ela está pedindo ou se os pedidos são apenas para que a hora de dormir não chegue tão cedo. 

Existem dois comportamentos críticos na falta de limites. A ausência de limites: é quando os pais não cobram nenhum tipo de limite. A criança pode dormir a hora que quiser, assistir televisão ou usar eletrônicos até o momento de dormir, o que pode estar causando problemas e dificuldades no início do sono. Crianças que têm falta de limites vindo dos pais acabam tendo sonos mais curtos e mais despertares.

Outro comportamento é a  falta de limites: quando os pais têm limites, mas não de forma regular. Quando os pais não tem um horário certo para pôr a criança dormir e não criam uma rotina consistente fazem com que se gere uma confusão na cabeça da criança, porque ela nunca sabe qual o horário de dormir do dia, o que não facilita o sono mais estruturado.

O Distúrbio de Falta de Limites pode ser um grande vilão na no sono do seu filho e de seu bebê. 

Lembrando que a Insônia Comportamental geralmente começa a ocorrer após o 6º mês de vida, pois a criança somente começa a ter um sono ininterrupto a partir do 3º e 6º mês de vida.

Fonte: Carla LimongiEspecialista em Educação do sono infantil 

Compartilhe

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *